_________________

by ZÉ MIGUEL WISNIK

/
1.
2.
3.
4.
5.
6.
7.
8.
9.
10.
11.
12.
13.

about

INDIVISÍVEL capa fosca e encarte azul brilhante

credits

released June 17, 2011

Produzido por Alê Siqueira
Produção executiva _Sergia Percassi
Arranjos _Zé Miguel Wisnik, Arthur Nestrovski, Marcio Arantes, Marcelo Jeneci, Swami Jr, Sergio Reze, Alê Siqueira
Gravação e mixagem _Carlos (Cacá) Lima – estúdio YB (SP)
Gravações adicionais _Ricardo Moska e Maurício Gargel, estúdio Na Cena (SP); _estúdio Monoaural (RJ); _Paulo Lepetit, estúdio Outra Margem (SP)
Masterização _Carlos Freitas, estúdio Classic Master
Projeto gráfico _Elaine Ramos
Produção gráfica _Letícia Mendes

tags

license

all rights reserved

about

indivisível São Paulo, Brazil

contact / help

Contact indivisível

Track Name: Zé Miguel Wisnik, André Stolarski - INDIVISÍVEL
sei que eu já não presto
mais nenhuma atenção
e a vida passa
ultrapassa
os limites da razão
e tudo já era
é incrível
mas o mundo é uma fera
indizível

eu sei que estou louco
por você, e como não?
só você apaga
com suas luzes
minha grande escuridão
mas se você some
é impossível
eu não passo de um homem
invisível

eu sei que estou morto
de saudade e solidão
mas se no meu canto
ouço seu canto
que me leva ao coração
e toda distância
é possível
é pra dentro que ela avança
indivisível
Track Name: Marcelo Jeneci, Zé Miguel Wisnik, Paulo Neves - FEITO PRA ACABAR
quem me diz
da estrada que não cabe onde termina
da luz que cega quando te ilumina
da pergunta que emudece o coração?

quantas são
as dores e alegrias de uma vida
jogadas na explosão de tantas vidas
vezes tudo o que não cabe no querer?

vai saber
se olhando bem no rosto do impossível
o véu o vento o alvo invisível
se desvenda o que nos une ainda assim

a gente é feito pra acabar
a gente é feito pra dizer (que sim)
a gente é feito pra caber (no mar)
e isso nunca vai ter fim
Track Name: Marcelo Jeneci, Zé Miguel Wisnik - O PRIMEIRO FOLE
antes da primeira nota
que eu toquei no meu piano
antes do primeiro fole
vir soando na sanfona
antes de escutar
o som do mar
antes de ouvir o coração
antes do sal
e antes do vento
a farfalhar no coqueiral
lá no coqueiral

já havia
o som de alguma voz a me chamar
no som de uma palavra
e palavras sem palavras
a chamar pelas palavras
um canto sem fim
num sem lugar
bem no lugar
do nosso amor
e havia o mar
e havia o vento
a farfalhar no coqueiral
lá no coqueiral
já no coqueiral
Track Name: Zé Miguel Wisnik - FIO DE AREIA
foi da noite pro dia o chão e o céu
foi da água pro vinho o pão e o mel
foi o sal da saliva num beijo que se deu
mão e luva, sol e chuva, dom e dilúvio de deus

também foi deserto e dor, tu e eu
foi flagelo de luta e amor, coliseus
e a escada rolando na noite de babel
nos levava de novo na estrada que o amor escolheu

foi assim
é assim
quase assim
fio de areia

muito mais
temporais
guerra e paz
lua cheia

já deu tempo de se lembrar, de esquecer
de partir, de chegar, de ter de querer
de cair nos caminhos sem fundo e se perder
e do barro amassado o jarro do amor refazer

de tudo se complicar, de sofrer
tempo do mundo se acabar, ou nascer
mas ao longo do tempo tão curto de viver
tão curtida a vida pra sempre servir a você

foi assim
é assim
quase assim
fio de areia

muito mais
temporais
guerra e paz
lua cheia
Track Name: Zé Miguel Wisnik, Luiz Tatit - TRISTEZA DO ZÉ
‘té que foi tão bom fugir e te esquecer
não saber mais nem notícia de você
com a tristeza consegui me entender
com a saudade conviver
e com a dor não me doer

mas aos poucos tive que reconhecer
que a tristeza não parava de crescer
tomou conta da cidade e do país
tudo que é melancolia
dizem que fui eu que fiz

é só chorar
em palmas, teresina ou jequié
já vão avisar
que a origem é a tristeza lá do zé

já não quero nem lembrar que te esqueci
não sabia que a tristeza era assim
que ela segue seu caminho até sem mim
não tem pouso nem tem fim
se deixar vai invadir

evitar de se espalhar bem que tentei
mas também não é só comigo, eu reparei
a tristeza é todo mundo e é de ninguém
a tristeza ‘tá no fundo
da tristeza eu sou o rei

chorar chorar
no crato, em cachoeiro e macaé
já vão avisar
que a origem é a tristeza lá do zé

já não quero nem lembrar que te esqueci
não sabia que a tristeza era assim
que ela segue seu caminho até sem mim
não tem pouso nem tem fim
se deixar vai invadir

evitar de se espalhar bem que tentei
mas também não é só comigo, eu reparei
a tristeza é todo mundo e é de ninguém
a tristeza ‘tá no fundo
da tristeza eu sou o rei

então valeu
brasília diamantina e taubaté
canção leva eu
vem nas asas da tristeza quem quiser
matão belém
são paulo maringá chuí bagé
canção leva eu
vem nas asas da tristeza quem quiser
vem nas asas da tristeza quem quiser
vem nas asas da tristeza azul do zé
Track Name: Zé Miguel Wisnik, Mauro Aguiar - NOSSA CANÇÃO
nossa canção
guarda canções
diversas
minha ilusão
tua emoção
mil dimensões
imersas

outras virão
buscando a luz
de cais em cais
naus sobre naus
espessas
pois as canções
só são canções
quando não são
promessas

nessa canção
cabem canções
dispersas
minha razão
teu coração
mil sensações
avessas

outras virão
de encontro a nós
de voz em voz
de par em par
esparsas
pois as canções
só são canções
quando não são
mais nossas
Track Name: Zé Miguel Wisnik sobre poema de Antonio Cícero - OS ILHÉUS
uma onda pode vir do céu,
imponderável como as nuvens,
e cair no dia feito um véu
ou a tampa de um ataúde.
e nada impede que se afundem
neo-atlânticas e arranha-céus
ou que nossas cidades-luzes
submersas se tornem mausoléus.
em arquipélagos, os ilhéus
pisarão ruínas ao lume
do mar, maravilhados e incréus
e devotados a insolúveis
questões, espuma, areia, fúteis
e ardentes caminhadas ao léu.
Track Name: Guinga, Zé Miguel Wisnik - ILUSÃO REAL
vem, me diz
se a lua atrás daquela nuvem quis
riscar um círculo de chumbo e giz
pra me maltratar
e se o mar
batendo assim no breu
se trai querendo copular com o céu
fantasmagórica ilusão cruel
a debochar de mim

será então
que vou sem paz e sem perdão
no labirinto de tormentos vão
onde sobramos eu
e deus?

vem, diz mais
se a noite esconde o estrago que me faz
no próprio peito a martelar tenaz
por um mal maior
e se o amor
se dando a mim total
só quer morder meu coração mortal
fantasmagórica ilusão real
a debochar de mim

será então
que sou sem paz e sem perdão
no labirinto de tormentos vão
onde sobramos eu
e deus?

vem, me diz
vem, me diz
vem
Track Name: Guinga, Zé Miguel Wisnik - CANÇÃO NECESSÁRIA
CANÇÃO NECESSÁRIA

já sei que vacilei
mil vezes relutei
em te dizer o quanto
cantarolei baixinho
frases sibilinas
quase irreais

lancei meias palavras
em que eu evitava
o que queria tanto
mas no que eu sussurrava
havia fogo e lava
prometendo mais
querendo muito mais

querendo o teu regaço
que num minuto sem igual
você me lesse
não me esquecesse
adivinhasse enfim
não desistisse mais de mim
e ouvisse no meu canto
as tontas entrelinhas
que silenciei
por ti

não pense que gastei
as horas que levei
a costurar o vento
queimei tantos rastilhos
que só explodiam
lá no nunca mais

arrepiei caminhos
que me levariam
mais que o pensamento
fiquei vendo navios
vivos e esquivos
num imenso cais
o mais imenso cais

querendo o teu regaço
que num minuto virtual
você me lesse
não me esquecesse
adivinhasse enfim
não desistisse mais de mim
e ouvisse no meu canto
as tontas entrelinhas
que silenciei
por ti

prometo rios de leite
com seus afluentes
uma foz e o mar
aceno com presentes
que só o próprio tempo
pode adivinhar

se acaso eu te sentir
a ponto de fugir
definitivamente
no último segundo
eu grito: pára o mundo
que eu só sei te amar
Track Name: Zé Miguel Wisnik, Alice Ruiz - DOIS EM UM
você quer me compreender
você quer me conhecer
reclama
diz que eu sou indiferente
de egoísta meio ausente
me chama

você diz que é pouco amor
que eu só sei te dar valor
na cama
e que as nossas diferenças
vão ficando tão imensas
exclama

sem a comunicação
não existe mais paixão
e dói

mas se você quer saber
o que eu tenho a lhe dizer
me diga
se você não quer quem sou
eu sou quem te conquistou
se liga

vê se existe amor bastante
que nos faça descobrir
as pistas
e seremos semelhantes
no abismo em que cair
a ficha

o que eu tenho a lhe dizer
só você pode entender
e só
Track Name: Zé Miguel Wisnik sobre poema de Gregório de Matos - MORTAL LOUCURA
na oração que desaterra......................... a terra,
quer deus que a quem está o cuidado ... dado,
pregue que a vida é emprestado ............ estado,
mistérios mil que desenterra ................... enterra.

quem não cuida de si que é terra ........... erra,
que o alto rei por afamado ..................... amado,
é quem lhe assiste ao desvelado ............ lado,
da morte ao ar não desaferra ................. aferra.

quem do mundo a mortal loucura .......... cura
à vontade de deus sagrada .................... agrada
firmar-lhe a vida em atadura .................. dura.

ó voz zelosa que dobrada ....................... brada,
já sei que a flor da formosura ................ usura,
será no fim dessa jornada ...................... nada.
Track Name: Zé Miguel Wisnik - CACILDA
com que lábios te beijei
lábios de amor
lábios de atriz
com que lábios eu te quis
com que chorei
e ris
com que lábios me pintei
com que lábios fui feliz

e depois nem perguntei
com que paixão
deixei levar
entreguei o coração
ao turbilhão
do mar

nas lágrimas que derramei de mim pra mim
em espetáculo me dei
mirei no teu espelho e vi o espelho de
ninguém
mas na lábia pequena em que me descobri
da boca de cena nasci
pra grande lábia de viver o gozo de existir
e com você
saber enfim
que sim:
fingir fingir fingir
e atingir
o ser
(de atriz)
Track Name: SE MEU MUNDO CAIR
se meu mundo cair
então caia devagar
não que eu queira assistir
sem saber evitar
cai por cima de mim
quem vai se machucar
ou surfar sobre a dor
até o fim?

cola em mim até ouvir
coração no coração
o umbigo tem frio
e o arrepio de sentir
o que fica pra trás
até perder o chão
ter o mundo na mão
sem ter mais
onde se segurar
se meu mundo cair
eu que aprenda a levitar